Gripe

O que previne:
Infecção pelo vírus Influenza (que causa a gripe) contidos nas vacinas.
Do que é feita:
Trata-se de vacina inativada, portanto, não tem como causar a doença.
Sua formulação contém proteínas de diferentes cepas do vírus Influenza definidas ano a ano conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que realiza a vigilância nos hemisférios Norte e Sul. As cepas vacinais são cultivadas em ovos embrionados de galinha e, por isso, as vacinas contêm traços de proteínas do ovo.
Existe vacina trivalente, com duas cepas de vírus A e uma cepa de vírus B, e vacina quadrivalente, com duas cepas de vírus A e duas cepas de vírus B. O Laboratório Dom Bosco utiliza a vacina quadrivalente.
Indicação:
Para todas as pessoas a partir de 6 meses de vida, principalmente aquelas de maior risco para infecções respiratórias, que podem ter complicações e a forma grave da doença.
Contraindicação:
Pessoas com alergia grave (anafilaxia), a algum componente da vacina ou a dose anterior.
Esquemas de doses:
• Para crianças de 6 meses a 9 anos de idade: duas doses na primeira vez em que forem vacinadas (primovacinação), com intervalo de um mês e revacinação anual.
• Para crianças maiores de 9 anos, adolescentes, adultos e idosos: dose única anual.
• Para menores de 3 anos, na dependência da bula do fabricante, o volume a ser aplicado em cada dose pode ser de 0,25 mL ou 0,5 mL.
Via de aplicação:
Intramuscular.
Eventos advesos:
- Locais: dor, vermelhidão e endurecimento (15-20%). Reações são leves e regridem em até 48 horas.
- Sistêmicas: febre, mal-estar e dor muscular (1-2%). Têm início de 6-12 horas após a vacinação e persistem por um a dois dias, sendo mais comuns na primeira vez em que tomam a vacina.
- Reações anafiláticas são raríssimas.
- Sabe-se que a Síndrome de Guillain-Barré (SGB) pode ocorrer por mais de um motivo, mas em raras ocasiões seu surgimento coincidiu com a aplicação de uma vacina – nesses casos, surgiu entre um dia e seis semanas após a vacinação.