Conheça nossa rotina de Exames Especializados para Reprodução Humana e Andrologia:

Espermograma:
Este exame segue a padronização internacional da Organização Mundial da Saúde para Análise do Sêmen. Em adição a esta padronização internacional, nossa rotina inclui diversos procedimentos auxiliares e complementares, com tecnologias desenvolvidas pelo Dr. Fernando Tadeu Andrade-Rocha, especialista e responsável por este exame no laboratório, cujo objetivo é ampliar as informações para facilitar o diagnóstico. Pelo fato de usarmos estas tecnologias complementares, nosso exame não tem similar em toda a área metropolitana do Grande Rio. Nossa rotina de análise seminal abrange avaliar a atividade funcional de todos os órgãos genitais e seus possíveis distúrbios, em pacientes que necessitam do auxílio na reprodução assistida. Este exame é muito usado para a investigação de infertilidade masculina e tem uma vasta aplicação na investigação de outros distúrbios que afetam a atividade funcional dos órgãos genitais, tais como varicocele em adolescentes, hemospermia, prostatites, vesiculite seminal, epididimite aguda e crônica, traumas testiculares, hidrocele, hipertrofia benigna de próstata, microlitíase testicular, hipogonadismo, agenesia de canais deferentes, dilatação cística das vesículas seminais, criptorquidismo, bloqueio parcial e total de maturação do processo de espermatogênese (spermatogenic arrest) e outras indicações clínicas. Detectamos também síndromes raras, tais como a síndrome dos flagelos curtos (tail stump defect) e globozoospermia e avaliamos pacientes com câncer, pré e pós-tratamento. Ainda avaliamos alterações seminais, que possam estar associadas com aborto recorrente. Nossos exames têm uma grande aplicação clínica, para avaliar praticamente todos os distúrbios que afetam o trato genital masculino.

TESTE DE MIGRAÇÃO ESPERMÁTICA (CAPACITAÇÃO ESPERMÁTICA):
Avalia a possibilidade de um casal se submeter a uma inseminação intrauterina, em relação ao fator masculino. É um teste que pode ser aplicado, por exemplo, se houver algum distúrbio no fator cervical (hostilidade cervical, infecções ou acidez). O teste determina a quantidade de espermatozoides recuperados da amostra original (ejaculado), a motilidade progressiva e a percentagem de espermatozoides morfologicamente normais. O teste com resultados dentro dos padrões de referência, indica a possibilidade de uma inseminação intrauterina, desde que a mulher apresente alterações somente no fator cervical.

TESTE DE FRAGMENTAÇÃO DO DNA:
Investiga os danos causados no DNA espermático, pela produção excessiva de radicais livres, que acontece quando distúrbios na espermatogênese provocam a produção de muitos espermatozoides irregulares. Processos infecciosos provocam uma resposta inflamatória forte, com liberação de um número de leucócitos acima do normal (leucocitospermia) e aumento de radicais livres no sêmen. Ambos, atacam o núcleo espermático provocando um rompimento (fragmentação) da molécula de DNA. O excesso de fragmentação do DNA pode reduzir a capacidade funcional dos espermatozoides, causando infertilidade masculina. Também pode contribuir para o aborto, principalmente, abortamento de repetição (recorrente).

EXAME DO EJACULADO SPLIT:
Implantado recentemente em nossa rotina, este exame avalia frações do ejaculado colhidas separadamente, para investigar a presença de infecções na próstata e nas vesículas seminais, principalmente, em pacientes acima dos 50 anos. É necessário consultar o laboratório para sua realização. Nesta rotina faz-se a cultura bacteriológica das frações do ejaculado e a dosagem de marcadores glandulares (fósforo para as frações das vesículas seminais e zinco para a fração prostática).

OUTROS EXAMES COMPLEMENTARES:
Disponibilizamos também outros exames relacionados, como : • Cultura bacteriológica do sêmen • Pesquisa de Chlamydia trachomatis no sêmen • Dosagens hormonais para reprodução humana efetuadas por metodologia de quimioluminescência, usando aparelho de última geração (FSH, LH, Testosterona total e livre, Estradiol, Progesterona, etc) • PSA total e livre.